Mercedes-Benz Bus Club

Conteúdo para quem é apaixonado por ônibus

Mercedes-Benz e Mascarello produzem ônibus de mais segurança para as rotas do Equador

No mês de julho, a Mercedes-Benz, em parceria com a Mascarello, enviará um ônibus rodoviário O 500 RS 1942 com nova carroceria Roma 6 para o Equador. Além dos itens tecnológicos de segurança do próprio chassi, o veículo contará também com diferenciais que aliam mais retorno financeiro com baixo custo operacional, conforto e segurança. O objetivo é fazer com que clientes de todo o país conheçam as novidades do produto.

“Os itens tecnológicos do chassi O 500 RS e da carroceria Mascarello mostram a junção perfeita de segurança que as duas marcas são capazes de promover para motoristas e passageiros”, afirma Mauricio Yamamoto, Managing Director Bus Regional Center Daimler Latina. “Com essa parceria, reforçamos a preocupação que a Mercedes-Benz tem em fornecer ônibus seguros para os nossos clientes em todos os lugares do mundo. Inclusive, este ônibus está equipado com todos os nossos itens de segurança, representados por meio de selos na carroceria. Dessa maneira, a Mercedes-Benz lidera mais uma vez a corrida para o futuro da direção autônoma na indústria automotiva”.

O veículo apresenta os mais modernos itens de segurança, tais como o ACC (piloto automático adaptativo), EBS (sistema de frenagem eletrônica), AEBS (freio automático de emergência), LDWS (sistema leitor de faixas) e também o Hill Holder (Assistente de freio de rampa). Além disso, o ônibus vem com suspensão pneumática e traz o consagrado motor OM457, de 420 cv e torque de 1900 Nm. Com freio à disco, PBT de 19,6 tons e eixo HO6 com capacidade de 12,5 tons, o veículo é preparado para carrocerias de 13,2m de comprimento e também pneus 295/80R x 22,5. Assim que chegar no país, o veículo vai passar pelos principais estados para que os clientes conheçam o produto.

Em termos de redução de custo operacional, este é o primeiro ônibus do mercado equatoriano a apresentar caixa automática ZF Ecolife com retardador integrado. Com essa caixa, em que o mesmo óleo lubrifica caixa e retardador, a troca de óleo poderá ser realizada apenas uma única vez num intervalo estimado em até 180.000 km percorridos. “Os nossos ônibus têm 5x mais disponibilidade para operar do que aqueles com caixas convencionais que precisam realizar troca de óleo a cada 40.000km rodados, considerando também a troca de óleo do retardador que ocorre em média, a cada 60.000 km. Com a caixa automática, otimizamos o tempo de parada para manutenções e proporcionamos maior rentabilidade aos nossos clientes em um cenário de transporte cada vez mais competitivo”, destaca Maurício.

De acordo com o executivo, outro benefício é que, agora, o veículo não possui embreagem e a a troca de marcha será feita pelo conversor de torque. Dessa maneira, o veículo passa a apresentar melhor aproveitamento de eficiência energética e melhor performance em aclives e rampas. “As tecnologias da Mercedes-Benz, sejam elas focadas na segurança ou no custo operacional dos ônibus, foram desenvolvidas pensando em nossos clientes da América Latina cujos veículos rodoviários operam em montanhas e elevadas altitudes. Temos confiança que, com lançamentos de produtos mais seguros e eficientes, alcançaremos mais vendas na América Latina”, conclui Maurício.

Comentários

Paulo Pinto 18/06/2020 11:27

Por quê a Mercedes não disponibiliza versões de chassis com mais potência para os clientes do Brasil, como faz para a América Latina? Este chassis com 420 HP para carro toco é inédito por aqui e até à pouco tempo, somente disponível para 6 x 2 & 8 x 2! Fica fácil entender porque a grita da platéia com relação à potência dos motores e o desempenho em subidas íngremes. Como, nas palavras da própria Mercedes, existe uma demanda por veículos mais potentes pelo mercado, por quê não lançar versões com os motores de 460 e 510 Hp para os chassis 6 x 2 para Low Driver ( à exemplo do que exste na linha Setra) e 8 x 2? Para estas aplicações no entender da Mercedes, os motores estariam super dimensionados? Não seriam econômicos?

Mercedes-Benz 18/06/2020 13:02

Olá, Paulo! Nem todos os modelos comercializados fora são homologados para o Brasil, a definição de quais deles serão comercializados depende da análise de mercado feita pela Mercedes-Benz. Nossos veículos são projetados para atender às necessidades dos motoristas brasileiros com muito desempenho, segurança e conforto. Além disso, o desempenho de um veículo não corresponde apenas a potência do motor, mas envolve também os outros agregados e os motores produzidos nos chassis brasileiros visam fazer uma perfeita relação entre força x velocidade x baixo consumo x baixa emissão de poluentes de acordo com a lei Proconve P7 do Ibama. De qualquer forma, a gente agradece a sugestão e os apontamentos. Abraços!

Veja também no BusClub